Seja bem-vindo!

Coronel Fabriciano, 23 de fevereiro de 2024

Siga nossas Redes Sociais

Cardeal Paulo Cezar Costa será legado pontifício na beatificação do primeiro bispo de Montevidéu, no Uruguai
31/01 Notícias da Igreja
Compartilhar

A Conferência Episcopal do Uruguai anunciou, na última quinta-feira, 26 de janeiro, a data da beatificação do venerável Servo de Deus, dom Jacinto Vera, primeiro bispo de Montevidéu. A celebração será realizada no dia 6 de maio deste ano e será presidida pelo arcebispo de Brasília (DF), cardeal Paulo Cezar Costa, escolhido como legado pontifício, o representante do Papa na cerimônia.

A definição da data atende ao pedido dos bispos uruguaios, por ser o 6 de maio o dia em que se recorda a morte do bispo, ocorrida em Pan de Azúcar, em meio à sua missão apostólica.

O decreto aprovando o milagre obtido por intercessão de dom Jacinto Vera foi promulgado no dia 17 de dezembro pelo Papa Francisco.

Levou o frescor da vida e a graça do Evangelho

Na ocasião, os prelados expressaram em sua mensagem que dom Jacinto guiou a Igreja uruguaia em tempos difíceis: “ele levou o frescor da vida e a graça do Evangelho a todos sem distinção”. Eles também escreveram que, no final de seus dias, “ele recebeu uma admiração unânime da sociedade de seu tempo, mesmo de seus próprios adversários, como se refletia nas homenagens que se seguiram a sua morte”.

Evento memorável

“Vamos nos preparar para sua beatificação, pois será um evento memorável na história de nossa Igreja”, conclui a Conferência.

Breve biografia

O futuro beato nasceu no dia 3 de julho de 1813, a bordo de um barco, no Oceano Atlântico, quando sua família se dirigia ao Uruguai, tendo como origem as Ilhas Canárias. Quando jovem, trabalhou no campo com sua família. A vocação foi despertada aos 19 anos, e teve que ir para a Argentina estudar. Sua primeira missa foi celebrada em 6 de junho de 1841.

Após 17 anos de atuação na paróquia da Villa de Guadalupe de Canelones, foi nomeado vigário apostólico do Uruguai em 4 de outubro de 1859; e sagrado bispo na Igreja Matriz de Montevideo em 16 de julho de 1865. Participou do Concílio Vaticano I em 1870. Foi o primeiro bispo de Montevideo desde 13 de julho de 1878.

Segundo o comunicado da Conferência Episcopal do Uruguai, dom Jacinto Vera viveu de forma austera, e se fez próximo aos pobres, aos presos e aos enfermos. “Sempre fiel ao seu sacerdócio, foi instrumento de paz e reconciliação entre os orientais. Seu espírito missionário o levou a todos os rincones da república para anunciar a salvação de Cristo”.

Dom Vera morreu durante a uma missão que realizava em Pan de Azúcar, em 6 de maio de 1881. Em seu enterro, o jovem Juan Zorrilla de San Martín resumiu o sentimento de muitos: “… as lágrimas neste momento inundam minha alma e a alma do povo uruguaio, enlutado e consternado… Pai! Mestre! Amigo! … Senhores, irmãos, povo uruguaio: o santo está morto”.

Com informações da Conferência dos Bispos do Uruguai.
Foto de capa: divulgação/arquidiocese de Brasília

CNBB