Seja bem-vindo!

Coronel Fabriciano, 23 de fevereiro de 2024

Siga nossas Redes Sociais

Semana da vida e dia do Nascituro 2023 – “Adoção: Amor com laços do coração”
06/10 Notícias da Igreja
Compartilhar

Cardeal Orani João Tempesta
Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ)

Ao longo da semana de 01º a 07 de outubro as Dioceses e Arquidioceses de todo o Brasil celebram a Semana Nacional da Vida, concluindo com a celebração do dia do nascituro no Domingo dia 08. A Igreja antes de tudo defende a vida, desde a concepção no útero até a morte natural passando pelas preocupações da criança, adolescente, adulto e velhice e motiva todos os fiéis a fazerem o mesmo, procurando meios para que todos vivam com dignidade tendo trabalho, teto, lazer, educação, saúde.

Ninguém tem o direito de tirar a própria a vida ou de tirar a vida dos outros, Deus nos deu a vida e somente Ele tem o poder de tirá-la e nos chamar de volta para Ele quando quiser. Por isso, a Igreja é totalmente contra o aborto e motiva todos os fiéis para que também sejam. Não podemos tirar a vida de um ser que não pode ainda nem se defender. Além da questão religiosa somos a favor das duas vidas (da mãe e da criança) como questão de dignidade humana.

A Igreja incentiva aos casais que se unem em matrimônio para que gerem vidas, e um dos fins do matrimônio é gerar vidas, que nada mais é que o fruto do amor mútuo do casal.

Antigamente os casais se uniam em matrimônio e tinham quatro ou mais filhos, já nos dias de hoje, levado por propaganda enganosa, os casais optam por apenas. É claro, que os tempos mudaram, o padrão de vida aumentou, mas o casal tem que pensar em primeiro lugar a gerar vidas. Deus nos ama e quer que nos amemos uns aos outros, o amor que o casal sente um pelo outro deve transmitir aos filhos que eles gerarem.

A inciativa da Semana Nacional da Vida e do dia do nascituro é proposta pela comissão Episcopal para a Vida e a Família da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). Assim como em todos os anos a Semana Nacional da vida traz um tema específico, e o escolhido para esse ano foi: “Adoção: Amor com laços do coração”. Sabemos a burocracia em nosso país para que famílias adotem crianças.

No dia do nascituro, próximo Domingo dia 08, acontecem nas Igrejas celebrações e manifestações em favor da vida. Nesse dia também os fiéis pedem a Deus que os direitos de todas as crianças sejam garantidos e elas sejam respeitadas em sua dignidade. Nessa celebração os fiéis fazem um grande apelo em favor da vida e contra o aborto.

O tema da Semana da Nacional da Vida desse ano “Adoção: Amor com laços do coração”, primeiramente que nos dizer que somos filhos adotivos de Deus, Ele nos deu a vida e dom da paternidade aos nossos pais, e partir do Batismo sobretudo, somos adotados como filhos e filhas de Deus. Em segundo lugar o tema da Semana Nacional da Vida desse ano vem nos dizer que que todas as pessoas podem adotar crianças, principalmente aquelas abandonadas e que vivem em situação de vulnerabilidade social. Os filhos ficarão contentes em adotar os pais.

Alguns casais têm dificuldade em ter filhos, ou o homem ou a esposa, são impossibilitados de gerar vida, muitas vezes não sabem qual decisão tomar e optam por viverem somente os dois. Mas esses casais que têm dificuldade em ter filhos, podem se abrir para a adoção, pois a adoção é um gesto de amor, e os pais vão amar esses filhos que adotarem tanto quanto amariam se tivessem gerado os seus próprios filhos. Muitas crianças querem uma família, um lar para chamar de seu, vivem em orfanatos ou em lugares insalubres, e muitos casais que não podem ter filhos podem adotar essas crianças. Porém, a adoção acontece também com os casais com muitos filhos gerando um clima de amor à criança que necessita de uma família.

Recentemente tem sido discutido no Supremo Tribunal Federal a possibilidade de descriminalizar o aborto, ou seja, não ser mais considerado crime e o aborto ser liberado e poder ser feito livremente. Isso foi motivado por um pedido de um partido político que não conseguiu fazer isso no local próprio que é o poder legislativo. A CNBB orienta que ao longo dessa semana façamos uma grande mobilização em defesa da vida: não podemos deixar com que o aborto seja descriminalizado. Além, de é claro, matar uma vida, ou seja, o feto que estava na barriga da mulher, acaba prejudicando a vida da própria mulher.

A CNBB preparou um subsídio chamado de “Hora da vida”, para que as paróquias, dioceses, comunidade e grupos de família façam uma prece em favor da vida. E ainda, esse ano os temas ressaltando a importância da adoção. Não podemos ter aversão a questão da adoção, mas encará-la como um gesto de amor.

Segue abaixo os oito temas propostos a serem debatidos ao longo dessa semana nacional da vida, culminando com o dia do nascituro.

1º Encontro – Adoção: um projeto de Deus!
2º Encontro – Adoção: alargar os vínculos da carne e do sangue
3º Encontro – O amor que adota é dom de Si
4º Encontro – Adoção é uma forma de caridade
5º Encontro – Adoção, gesto concreto em favor da vida
6º Encontro – Adoção, a fecundidade do amor
7º Encontro – A adoção enriquece a família
8º Encontro – Direito de nascer e ser acolhido em uma família

Celebremos com alegria e sobretudo com conscientização essa Semana Nacional da vida e que acima de tudo defendamos a vida desde a concepção até o seu termo natural. O mundo precisa que as novas gerações venham, e possam de certa forma mudar a mentalidade dessa geração atual. Precisamos de menos “violência” e mais “amor”.

CNBB